Cláusulas essenciais em contratos de compra e venda de imóveis

No cotidiano o contrato mais celebrado entre as pessoas é o de compra e venda, isso ocorre porque o consumo e a aquisição de bens, produtos e serviços é constante. Contudo, na maioria das situações rotineiras, não são celebrados contratos escritos, de forma solene e formal, pois essas formalidades são exigidas para determinadas espécies de compra, como por exemplo, quando o objeto é um imóvel.

A respeito do contrato de compra e venda de imóvel, a lei determina que os imóveis com valor maior de 30 salários-mínimos deve ser registrada uma escritura pública no cartório de notas, para validar o negócio jurídico. Apesar de ser um contrato bem comum, muitas pessoas têm dúvidas do que é indispensável nos contratos de compra e venda de imóvel.

Bom, para esclarecer essa dúvida, separamos as cláusulas indispensáveis em todo contrato de compra e venda de imóvel:

●     Informações completas sobre as partes do contrato:

Para celebrar um contrato é preciso ter as informações completas de cada parte envolvida, para que não haja confusão no momento da transferência e caso seja necessário ingressar com ação judicial, as partes possam ser identificadas no processo.

Sendo assim, quando as partes envolvidas forem pessoas físicas, deve constar no contrato: a) o nome completo de ambas as partes; b) CPF e RG de cada uma; endereço; contatos (e-mail, telefone, etc.); estado civil. Contudo, o acordo envolver pessoa jurídica, deve constar no contrato: a) CNPJ; endereço; inscrição estadual; informações completas a respeito dos sócios ou representantes da empresa  (as mesmas exigidas para a pessoa física).

●     Descrição detalhada do objeto do contrato:

Além das partes, o objeto do contrato deve ser descrito com detalhes para que o comprador não incorra em erro e para que o vendedor não possa entregar um imóvel diferente do que foi comprado.

Para evitar essas situações é preciso que o imóvel objeto do contrato seja bem descrito, contendo as dimensões da área, descrição do tipo de imóvel (terreno, lote, casa, apartamento, etc.), informações sobre a matrícula do imóvel, se possível colocar as informações do memorial descritivo, a localização exata do imóvel, se possui acessórios e benfeitorias, enfim, entre outras coisas importantes de se destacar.

Sobre o imóvel, uma simples precaução a ser tomada é a consulta do imóvel no cartório de registro de imóveis onde o mesmo está registrado, para saber se há restrições que podem impedir a transferência (como hipoteca, penhora, ter sido dado como garantia) e se o vendedor é de fato o proprietário ou representante deste. Isso evita golpes em que o vendedor celebra contrato, mas sequer é proprietário daquele imóvel e quando recebe o valor da transação desaparece e o comprador fica prejudicado.

●    Informações detalhadas sobre preço e pagamento:

Nesse ponto do contrato deve conter o valor do imóvel, a forma como será pago, se parcelado deve ter o número de parcelas, o valor de cada uma, o vencimento, se houve permuta, dação em pagamento, compensação de valores. Deve constar ainda, se já foi pago algum valor como sinal ou entrada, se houve descontos.

●     Cláusulas antirrisco:

Essas cláusulas servem para a proteção das partes, dizendo respeito às penalidades que serão aplicadas quando um parte descumprir ou inadimplir com sua obrigação. Essas cláusulas podem estabelecer:

Sinal – é uma parte do valor do contrato pago antecipadamente para evitar que as partes desistam do negócio, garantindo a continuidade do contrato. Dessa forma, o comprador paga um valor antecipado e se o vendedor desistir da venda, deverá devolver o sinal ao comprador ou se este desistir do contrato, perde o valor do sinal para o vendedor;

Cláusulas Penais – são aquelas que estabelecem a aplicação de multa global (sobre o valor cheio do contrato), multa por atraso (efeito da mora, pode ser aplicada sobre apenas a obrigação que foi descumprida), juros de mora (aplicados quando há atraso no cumprimento da obrigação.

Cláusulas resolutivas – são aquelas que estabelecem o fim do contrato se uma das partes descumprir as demais cláusulas e obrigações do contrato.

●     Documentação anexa:

As partes devem prestar muita atenção na documentação necessária para comprovar a veracidade das informações do contrato e garantir a transparência da negociação. Por exemplo, a outorga uxória deve ser anexada ao contrato como condição de validade do negócio, pois em caso de uma das partes vir a se divorciar após a assinatura do contrato o cônjuge poderá alegar que houve dissolução do patrimônio se não houver outorga uxória.

Outros documentos importantes são as certidões de quitação de débitos do imóvel e os comprovantes de pagamento, para que o comprador não seja surpreendido com execução de dívidas ligadas ao imóvel. Nesse caso, é importante que tenha uma cláusula especificando se o imóvel tem dívidas ou não e se o novo proprietário ficará responsável por quitá-las, inclusive podendo haver abatimento do preço do imóvel.

Essas são as cláusulas indispensáveis para contratos de compra e venda de imóvel.

Precisa de ajuda para fazer um bom contrato de compra e venda de imóvel? Entre em contato conosco através de nossos canais de atendimento, e esteja protegido na hora de comprar ou vender um imóvel.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Onde nos encontrar

Souto Costa Advogados Associados © 2020 Todos os direitos reservados. Configurações de Cookies. Política de Privacidade.