Como reduzir riscos de fraude ao comprar pela internet

A internet hoje está sendo usada para diversas atividades. Ela substituiu muito as atividades que antes eram somente presenciais. Foi-se o tempo em que ela era utilizada para fazer pesquisas de estudo escolar, ou para redes sociais.

Com as novas necessidades que foram surgindo com o passar do tempo, adaptar e criar um sistema de compras online também passou a ser uma das prioridades dos lojistas. Muitas lojas de sucesso hoje, são as que implementaram o sistema de compras online. Isso porque, quando você tem um e-commerce, é possível atingir milhares de pessoas, se comparado a apenas a uma loja física que vende apenas para os consumidores da região em que ela está inserida.

Porém, apesar desse avanço na facilidade de comprar, junto vem os riscos das compras online. Infelizmente, as fraudes começaram a surgir e acontecer cada vez mais. Dessa forma, é essencial tomar alguns cuidados para não cair nas fraudes em compras pela internet.

Sabendo dessa prática reiterada, o próprio Serasa disponibilizou uma lista com algumas precauções que os consumidores podem tomar para evitar prejuízos e fraudes nas compras feitas online. Confira agora as dicas:

1. Pesquise a idoneidade da empresa: confira os dados comerciais da empresa de comércio eletrônico. Os canais de venda virtuais são obrigados a fornecer dados como razão social, endereço, telefone e CNPJ, de preferência, em sua página principal. Desconfie de sites que não seguem essa regra.

2. Sem contato, nem pensar: identifique as informações de contato. Quanto mais fácil você localizar telefones, endereços e e-mail para entrar em contato com o comércio eletrônico, tirar dúvidas ou encaminhar problemas, mais confiável o site é e menos provável será de você ser vítima de um golpe virtual. Alguns sites, inclusive, oferecem chat online pelo qual você pode conversar com um atendente em tempo real.

3. Fique de olho na certificação digital: cheque as certificações digitais para evitar fraudes. As lojas virtuais que se preocupam com a segurança de seus clientes buscam obter selos de segurança e certificações digitais que protegem os dados fornecidos pelos clientes. Confira se a página inicial apresenta essa informação. Além disso, os endereços de sites de comércio eletrônico devem começar com “https” e não “http”.

4. Atente à qualidade dos textos: procure pistas de golpe no site. Erros de português e fotos de má qualidade são bons indícios de sites que não são idôneos, construídos de forma amadora e com a finalidade exclusiva de tirar dinheiro das pessoas. Fique atento.

5. Conheça a reputação da empresa: pesquise o que as pessoas andam falando sobre a empresa. Sempre que estiver com o pé atrás com algum comércio eletrônico, consulte a idoneidade do site nos órgãos de proteção ao consumidor como o Reclame Aqui. O Procon, por exemplo, mantém uma lista das empresas que recomenda evitar.

As redes sociais também são ótimas ferramentas para descobrir se existem reclamações em torno destes serviços e conhecer a opinião de outros consumidores. Nas fanpages das empresas no Facebook você encontra comentários de clientes e avaliações com estrelas. Além disso, você pode ver se a empresa responde os comentários deixados pelo público e se ela se importa em resolver os problemas que são relatados.

6. Peça indicações: não pense duas vezes antes de pedir indicações de parentes e amigos, sobretudo daqueles que já têm o hábito de comprar pela internet. Talvez você não saiba, mas um conhecido seu já comprou em determinada loja virtual e teve problemas. Por isso, pedir indicações é uma boa forma de estar protegido.

7. Leia a política do site: você conhecerá não só suas medidas de segurança como também seu sistema de trocas e devolução. Quanto mais confiante você estiver, melhor será sua compra e mais protegido estará o seu CPF.

8. Use dispositivos seguros: utilize wifi, computador ou smartphone seguros. Nunca faça compras virtuais por meio de computadores de outras pessoas ou usando redes públicas de wifi. Isso só aumenta a chance de ação de pessoas mal intencionadas.

9. Fuja de promoções mirabolantes: se um determinado produto está com o preço tão tentador que você quase não consegue deixar de comprar, pare, respire fundo e não compre. Preços muito reduzidos podem ser sinal de tentativa de fraude.

10. Guarde os comprovantes das compras: imprima ou salve no computador as telas que indicam que a compra foi realizada, anote códigos de confirmação e guarde e-mails que chegam à sua caixa com os dados da transação. Eles podem ser úteis no futuro.

Não se esqueça: cuide sempre do seu CPF. Monitorar regularmente seu CPF é um bom jeito de evitar prejuízos com fraudes. Você pode consultar seu CPF gratuitamente no Serasa Consumidor ou contratar o Serasa Antifraude, que envia uma mensagem sempre que seu CPF for consultado ou quando sofrer alterações de negativação ou participação em empresas.

Se você está sendo vítima de uma fraude em uma compra pela internet, procure um bom advogado especialista em direito do consumidor. Mantenha-se seguro. Com um bom profissional, é possível conseguir o estorno do valor da compra, e até mesmo indenizar moralmente a loja que pratica a fraude.

Precisa de ajuda? Estamos disponíveis para esclarecer suas dúvidas e orientá-lo quanto a melhor forma de resolver essa questão. Fale conosco.

Referência: https://www.serasa.com.br/ensina/seu-cpf-protegido/10-dicas-para-evitar-fraudes-nas-compras-online/

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Onde nos encontrar

Souto Costa Advogados Associados © 2020 Todos os direitos reservados. Configurações de Cookies. Política de Privacidade.