Empréstimo bancário, qual o menos oneroso?

Nos últimos meses, na tentativa de uma reorganização financeira, diversos usuários aderiram ao empréstimo bancário. Mas, será que cada uma dessas pessoas pensam em qual empréstimo é menos oneroso? Apesar de todo empréstimo acabar por cobrar juros expressivos, existem aqueles que podem ser menos onerosos. Continue acompanhando essa publicação para entender um pouco mais sobre empréstimo bancário e qual é menos oneroso.

Em primeiro lugar, é preciso entender que empréstimos podem ser bastante úteis em uma crise, mas é preciso ter cuidado para não se endividar e prejudicar sua organização financeira.

Há quem diga que pegar dinheiro emprestado seja um grande problema, contudo, a verdade é que tudo depende do planejamento que é realizado antes de contratar um empréstimo. Dessa forma, não podemos classificar o empréstimo como vilão ou como uma vantagem sem verificar a situação real do contratante.

Em determinados momentos, buscar crédito por meio de empréstimo bancário pode ser uma boa solução. O ideal é que seja usado em uma emergência financeira ou até mesmo para facilitar a realização de algum objetivo. Seja a compra de um carro ou um empréstimo para ser utilizado para investir em um negócio próprio.

Mas quando a decisão não é tomada com cautela, há riscos de se enfrentar drásticas consequências em sua vida financeira. Dessa forma, a realização de um empréstimo precisa ser avaliada com cuidado e atenção.

Uma dúvida que costuma surgir é: será que o empréstimo bancário é uma boa opção para você? Será que é a melhor escolha para as suas atuais necessidades? Será que o tipo de empréstimo que você escolheu é o mais vantajoso? Como funciona o prazo para pagamento, os juros e as parcelas?

Vamos falar agora com mais detalhes sobre várias modalidades de empréstimo para que você conheça as características e funcionamento de cada um deles.

  1. Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal, é uma das modalidades mais simples e também mais conhecidas do mercado. Ele é oferecido por instituições financeiras, e os prazos para pagamento e as taxas de juros variam bastante.

Geralmente, o dinheiro que é emprestado não fica vinculado a compra de um determinado produto. Dessa forma, o contratante decide como e onde utilizar esse dinheiro.

Para isso, é preciso fazer uma simulação e conferir o prazo, os juros e o valor final do contrato. A instituição solicita alguns dados, como CPF e comprovante de renda. Depois de realizar uma análise de crédito, ela decide se libera ou não a quantia solicitada.

Uma característica importante dessa modalidade de empréstimo, é que os juros aplicados são altos em comparação com outros tipos de empréstimo. Mas, porque isso acontece? Acontece pois o risco de inadimplência acaba sendo maior, pois não há garantias efetivas para a instituição que está te emprestando o dinheiro.

  1. Empréstimo consignado

O empréstimo tem uma peculiaridade em relação aos demais empréstimos, e sua aprovação é mais fácil que os outros. Isso porque, é um modelo de empréstimo em que é realizado um desconto na folha de pagamento do aposentado no valor da parcela. Entretanto, ele não se aplica apenas a aposentados, também podem ser beneficiários servidores públicos e colaboradores de empresas credenciadas.

O empréstimo consignado é o que apresenta menos riscos para o banco quanto ao pagamento, já que o desconto é realizado de forma automática e há mais garantia do recebimento pelo consumidor. Por consequência, pela garantia maior de recebimento pelo banco, os juros aplicados costumam ser menores que os de um empréstimo pessoal, por exemplo.

E qual o limite de desconto na conta? Bem, o valor do consignado não pode ser superior a 30% do salário recebido. Cabe lembrar que esse desconto não é automático, mas deve ser autorizado na contratação do empréstimo.

O maior problema do consignado é a dificuldade de se antecipar parcelas, já que fica programado o desconto mensal para ele.

  1. . Empréstimo pessoal com garantia

O empréstimo pessoal com garantia é semelhante ao empréstimo com crédito pessoal. Porém, neste caso, há uma exigência que se entregue um bem como garantido, podendo ser por exemplo, um imóvel ou um veículo.

Caso você não pague as parcelas, correrá o sério risco de que esse bem seja transferido de forma definitiva para o nome da instituição financeira que te emprestou o dinheiro.

Apesar dessa forma de empréstimo ter taxas de juros menores, como podemos perceber, se restar a inadimplência por parte do consumidor, este poderá perder o seu bem. Então veja, essa forma de empréstimo é melhor ao banco que tem uma garantia, e pior para você, afinal de contas, apesar dos juros menores, há o risco de que por um desequilíbrio financeiro em que você deixe de pagar o empréstimo, perderá seu patrimônio.

  1. Cheque especial

Muita gente não sabe, mas o cheque especial também é uma forma de empréstimo bancário, mas possui algumas peculiaridades. Ele funciona como um limite de crédito que é pré-aprovado na conta bancária.

Esse limite de crédito é utilizado de forma automática sempre que o consumidor ficar em débito com a instituição.

As taxas de juros do cheque especial é limitada a 8% ao mês, e outra regra importante é quanto a cobrança de uma tarifa de 0,25% ao mês pela disponibilidade de valor acima de R$ 500,00 (quinhentos reais).

Caso você tenha problemas com seu empréstimo, e precise revisar o contrato e renegociar sua dívida, busque um bom profissional na área e restabeleça novamente sua situação positiva junto ao banco.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Onde nos encontrar

Souto Costa Advogados Associados © 2020 Todos os direitos reservados. Configurações de Cookies. Política de Privacidade.