Mediação de conflitos entre sócios

Tem uma empresa e já teve um conflito entre um sócio e pensou em romper com tudo? Tome cuidado, pois essa decisão pode te custar muito caro, com o rompimento da empresa, que desestabilizará tudo que você construiu até hoje.

Não podemos negar que é natural que em qualquer sociedade, há a possibilidade de momentos conflituosos entre os sócios. Mesmo que a empresa seja composta por amigos de sua confiança, de longa data, ou ainda, de familiares, conflitos costumam surgir. Alguns conflitos agravam e abalam tanto as relações, que os sócios pensam em romper com o vínculo que possuem.

Um fato a ser considerado, é que na maioria dessas situações, os conflitos decorrem de motivos banais, nada relevantes, e que podem ser contornados através de uma boa conversa. Porém, no calor das emoções, os envolvidos muitas vezes não conseguem enxergar os fatos que estão dispostos, e nem a verem diversas opções para resolver a questão.

E é quando não se consegue a resolução simples e amigável das questões que deram causa ao conflito,  que essas desavenças começam a atrapalhar o bom andamento das atividades da empresa. Neste momento, é preciso que algo seja feito rapidamente, para evitar prejuízos e o agravamento da crise, que pode acabar se tornando insuperável.

Vamos te apresentar as consequências do que esses conflitos podem gerar para sua empresa, e como uma mediação pode ajudar a resolver os conflitos que precisam ser resolvidos.

Consequências negativas

Parceiros comerciais, clientes e fornecedores costumam se assustar quando brigas entre sócios se tornam rotineiras e começam a interferir no funcionamento da empresa. Isso gera certa instabilidade e desconfiança, afetando a reputação e a confiabilidade do trabalho que a empresa exerce.

É comum nessas situações que cada sócio passe a tentar impor seu ponto de vista, confundindo colaboradores e criando situações em que nada parece dar certo.E com essa visão distorcida, fruto da insatisfação e divergência que as atividades da empresa começam a ficar prejudicada. A melhor opção para que essas circunstâncias sejam superadas é a mediação.

Importância da mediação de conflitos

Para quem não está familiarizado com o termo mediação, cabe aqui explicar de forma simples o que é a mediação. Mediação é uma ferramenta utilizada para resolução extrajudicial de conflitos que auxilia os sócios a compreender o conflito e os reais interesses nele envolvidos, possibilitando assim a construção de uma solução que seja boa para todas as partes.

O processo de mediação leva os envolvidos a ter uma visão melhor do que é necessário ajustar na atividade da empresa, já que qualquer decisão tomada pode impactar não somente os próprios sócios, mas também, uma cadeia de pessoas, seja de forma direta ou indiretamente.

A Lei da Mediação traz garantias e proteção para os usuários desse método de resolução de conflitos: a confidencialidade, a possibilidade de suspender a arbitragem ou o processo judicial até que se encerre o procedimento de mediação, a suspensão dos prazos prescricionais, a garantia de imparcialidade do mediador e vários outros mecanismos para a proteção dos envolvidos na mediação.

Como ocorre a mediação

A mediação pode ser realizada por um mediador, ou até mesmo por dois mediadores. Estes devem ser imparciais, independentes e capacitados. O mediador, com técnicas e pelo uso de procedimentos adequados,, facilita o diálogo entre as partes auxiliando-as a identificar os suas posições e interesses, a separar as pessoas do problema e a construir, de forma conjunta, opções de ganho mútuo para a solução do conflito utilizando critérios objetivos e visando o consenso e a realização do acordo.

Como o advogado pode ajudar na mediação?

Advogados capacitados e especializados podem atuar mediando as brigas entre sócios e indicando as medidas que melhor preservam os interesses de todos, de uma forma justa e imparcial.

Além disso, o advogado pode ajudar de forma consultiva, para ajudar os sócios a estabelecerem “regras”, e condutas que devem ser seguidas por estes, e pelos colaboradores. Atuando assim, de forma preventiva para evitar as chances de desavenças, através de dispositivos em contratos e acordos prévios que vinculem a atuação de todos. Podem ainda representar uma das partes na mediação.

Na maioria dos casos o trabalho do advogado de forma consultiva não acontece. Isso porque ao constituir a sociedade, os sócios já possuem um bom relacionamento, e pensam que não passaram por divergências a longo prazo.  Como percebemos, a realidade é outra. Tão importante quanto preservar a empresa e todo o tempo e dinheiro investidos, é necessário evitar que desacordos desnecessários acabem prejudicando relações de amizade, e até mesmo relações familiares que podem estar em jogo.

Se você está pensando em constituir uma sociedade, busque ajuda profissional para pactuar algumas condutas que levem a uma boa convivência e tomada de decisões entre você e seus sócios, para que se evite transtornos futuros. Caso você já esteja passando pelo momento conflituoso, da mesma forma, busque a orientação do advogado para mediar o conflito. Proteja sua empresa, e não deixe que situações tão banais atrapalhem sua atuação profissional. Decisões equivocadas podem prejudicar muitas vidas. Pense nisso.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Onde nos encontrar

Souto Costa Advogados Associados © 2020 Todos os direitos reservados. Configurações de Cookies. Política de Privacidade.

Open chat