Reflexos da pandemia na renegociação de dívidas

Muito se tem ouvido falar que a pandemia causada pelo vírus da Covid-19 tem causado diversos impactos na sociedade. Certamente você viu ou ouviu em noticiários que houve aumento do desemprego, diminuição da economia em diversos setores, entre outras consequências.

Um desses reflexos que a pandemia gerou, diz respeito à renegociação de dívidas. Mas, no que isso implica? Mudança para melhor ou pior? Para você que está em dívida, isso implica em uma renegociação positiva.

Como dito anteriormente, uma das consequências dessa pandemia tem sido o desemprego. Muitos trabalhadores foram dispensados, alguns mantidos mas com reduções salariais. Com isso, o poder econômico diminuiu, e por consequência, as chances de não pagamento de dívidas aumentaram.

É por esse motivo que as instituições financeiras, frente a esse cenário, sabendo do alto índice de pessoas devedoras, estão facilitando na hora de negociar. E quais facilitações são essas? Vantagens, como por exemplo, redução da taxa de juros, entre outras.

A renegociação de dívidas e diminuição de taxas é uma oportunidade que a instituição dá ao devedor para que ele não pare de efetuar o pagamento da dívida.

Um acontecimento que mostra essa facilitação, é a suspensão que houve no início da pandemia para dívidas em atraso, até o prazo de 90 dias, para que não houvesse a negativação do nome dessas pessoas.

Essa foi uma maneira de interferir na alta taxa de negativação, e também oportunizar as pessoas a possibilidade de realizar uma renegociação com o banco. Essa é a atitude que se mostrou mais correta frente a todos os acontecimentos vivenciados nos últimos meses com essa pandemia.

E essa falta de poder econômico para sanar dívidas, não corresponde somente a pessoa física. Muitas empresas que possuem financiamentos e empréstimos com o banco, com a baixa na remuneração da atividade, também acabaram sofrendo as consequências. Muitas, com dívidas altas e sem a possibilidade de cumprir. Tendo que escolher ou pagar o funcionário ou pagar a dívida junto ao banco.

É uma situação delicada, difícil, mas que tentamos reverter seus efeitos a cada dia, promovendo essa facilitação a todos.

Está com dívidas? Procure renegociar com o banco. Agora está sendo um bom momento para isso. A Selic teve sua menor taxa dos últimos tempos, além dos juros reduzidos e outros benefícios que você pode conseguir.

São incontáveis os números de empresas que estão em falência após o início da pandemia. Isso porque, há inúmeros setores e atividades que não são consideradas como essenciais. Portanto, tiveram que se submeter às restrições que lhe foram impostas.

O prejuízo foi imenso, e a renegociação vem justamente para tentar restabelecer o equilíbrio econômico para que essas empresas e pessoas consigam pagar o que devem.

Estimular o pagamento de dívidas é a melhor posição que as empresas que possuem créditos para receber, e os bancos, devem ter, para que assim consigamos passar por essa situação difícil que estamos vivendo.

Vamos dar agora algumas dicas para você que está pensando em buscar a instituição financeira para realizar a renegociação de uma dívida.

  • Planejamento financeiro: planejar suas finanças é sempre o melhor caminho. Nesse ponto você irá fazer o levantamento da receita que possui, e quanto mensalmente você pode se comprometer em uma possível parcela da renegociação.
  • Estar atento aos juros: um dos reflexos da pandemia é a baixa taxa de juros e outros encargos, justamente para estimular a renegociação. Fique atento aos juros que está sendo cobrado, se realmente há vantagens.
  • Estar atento as cláusulas contratuais: o contrato deve estar de acordo com os ditames legais, bem como estar em equilíbrio e da forma que lhe seja mais vantajosa. E como conseguir isso? Através da consultoria e assessoria com um bom profissional.
  • Não deixe mais a dívida pendente: após a renegociação, um ponto de extrema importância é que você mantenha o pagamento da renegociação em dia. Caso contrário, você nunca conseguirá dar fim a essa dívida, além dos riscos que corre de até mesmo perder bens, através da execução dessa dívida, e uma possível penhora de bens.
  • Acompanhamento de um advogado: é importante um profissional da área jurídica nesse momento de renegociação bem como para te mostrar formas de atuação preventiva para que você possa conduzir bem a sua empresa e estar em dia com as dívidas junto as instituições bancárias, bem como dívidas vinculadas a outras empresas, prestadoras de serviço ou fornecedoras.

Renegociei e não consegui cumprir a renegociação, vou perder um bem? Para essa pergunta, não existe uma resposta absoluta. Isso porque tudo vai depender da sua atitude frente a inadimplência. O melhor caminho sempre é buscar a renegociação junto aos seus credores.

Já falamos em outro momento aqui em nosso blog que existe um mito de que bens só podem ser penhorados após ter ao menos três parcelas da dívida em atraso. Lembre-se que a dívida, após o primeiro dia de atraso já está sujeita a esse tipo de consequência.

Sendo assim, não se engane ao deixar os dias passarem e se acumular uma, duas parcelas, e achar que seu negócio não está em risco, porque na verdade está.

Procure um advogado e juntos vocês verão a viabilidade econômica da sua empresa para celebrar um novo contrato de renegociação da dívida em um valor que a capacidade econômica da sua empresa possa suportar, e assim você consiga manter os pagamentos.

Precisa de ajuda? Nossos profissionais estão prontos para te ajudar a resolver de uma vez por todas o seu problema. Entre em contato conosco e se informe do que pode ser feito para a melhor gestão de sua empresa, evitando problemas presentes e futuros. Aguardamos o seu contato.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Onde nos encontrar

Souto Costa Advogados Associados © 2020 Todos os direitos reservados. Configurações de Cookies. Política de Privacidade.